27 de jun de 2011

Familia, familia... Papai, mamãe... Priminha.


Aí que ontem foi aniversario de uma das crianças da familia. Uma das que eu mais gosto. Aliás, uma das únicas com quem eu tenho paciência. Porque, né, não sou obrigada! E, sim, eu fui. Feriado, nada pra fazer, pouco dinheiro... Dá nisso.
Mesmo quando se é alguém que tem pavor de reunião de familia, com eu.

Chegando na festa, um mundo de pessoas da familia, amigos dos pais da prima aniversariante... Além das mesmas de sempre. E uma prima que, na última vez que eu vi, ainda era aquela criança gordinha que você acha que nunca vai tomar corpo. Nem juízo.
Bom... Juízo é que ela não tem mesmo, pelo que eu pude perceber.


Tratou a mãe mal durante pelo menos dez anos da sua vida... E acredito que nestes dois últimos ela ainda tenha o mesmo comportamento.
É grossa, pedante e qualquer outro sinônimo para "uma pessoa detestável".
E eu vejo a mãe toda feliz dizendo que tem um amigo dela, com quem ela já ficou (doze anos já beija na boca, né? eu já beijava, mas não sei como andam as coisas hoje em dia...rs) e que ela é fodona (dig dim, dig dim ♪). Só falta dizer que a garota é a última bolacha do pacote. Porra nenhuma!
E a garota? Decote, soutien aparecendo, calça da Gang tem que ter etiquetinha. se tiver etiquetão foi comprada na feirinha e toda a aparência de putinha funkeira carioca.
Tenho medo só de pensar que eu um dia possa ser mãe, e minha filha tenha essa mesma aparência detestável. Não tem vergonha não, né? Além de ser um nojo de pessoa, de tratar todas as criança da familia mal... Ainda tem toda essa pose. ARGH! Essa garota que ouse encostar um dedo na minha sobrinha!


Na boa?! Tenho pena é da mãe, que tá completamente cega.
¬¬
 
Limpa aqui, please, que hoje e sempre, né o veneno tá escorrendo!
A mãe dela sempre foi uma pessoa prestativa. Ajudou muito os meus pais a tomarem conta de mim e da minha irmã para que eles pudessem trabalhar tranquilos. Somos gratos, todos, a ela por isso. E, poxa. Ela sempre tratou muito bem todas as crianças da familia. Mas, claro, sempre tem um porém: ela namorou, noivou, casou... E nunca teve filhos. E veio a ter a filha numa idade já avançada para a "média aceitável", se é que vocês me entendem. Não sei se o problema dela também é a síndrome de ovários policísticos, que eu tenho, mas sei que sempre, mesmo quando eu era pequena, eu sentia uma peninha dela... Você nota que a pessoa ama crianças, que quer ter a sua criança, e... Não consegue engravidar, sabe? Fiquei bolada de um dia eu passar por isso. Mas, Deus é bom, mas tão bom, que a última coisa que eu penso é em ter filhos. E, mesmo se pensasse, acredito que não seria com o mesmo desejo que ela.
Enfim; prima amorosa, querida. O que você pensa? Que a filha dela vai ser assim também. Certo?
Er-ra-do!
Eu não sou a única pessoa que não gosta dessa prima. Ninguém gosta.
Sabe o que é nin-guém? Pois é...
E dá uma pena da mãe!

2 comentários:

Karine disse...

Afffeeee!!!! Mas, é assim mesmo, cara! Ainda bem que a sua tia é um amor de pessoa...
li sua história e me lembrei da que minha mae contou há uma hora por telefone comigo. as minhas tias (sim, minha mae tem 6 irmas mulheres. meu pai, duas e um irmao homem que nao se mistura. ou seja, só tem calcinha na minha família) maternas coincidentemente tiraram o finde para visitar a minha avó no interior do Rio. Cara, e quando se junta, sao tao escrotas que nao sabem sair sem cagar na saída e cair na porrada. e eu só disse a minha mae: ainda bem que vc nao esteve lá. eu evito as irmas da minha mae pq sao horrorosas!!!

beijos.

Anônimo disse...

Pois é...
Tem uma em cada família...
Na minha tem duas...