27 de jul de 2011

Adooooooooro! - Parte II

hoje, confesso, não estive nem um pouco a fim de trabalho. mas, sabem como é, pobre assalariado não tem querer. hoje eu queria um dia de sombra e água fresca. mas, né. não dá. então, depois de duas ou mais semanas de hard working, me permito uma pausa para postar.

hoje eu salto do metrô e a primeira figura que eu vejo é um dos caras da historia no post anterior. mas, ele não é a minha maior preocupação (até agora não é, mas sempre pode vir a ser, né. nunca se sabe.). meu negócio é com o outro...

argh! essa frase me soou tão sexual que senti calafrios! =S

porque o lance que rola com a gente (blerght! outra ambiguidade digna de conotação sexual me dando calafrios!) há 1 ano e 4 meses de empresa é que simplesmente a gente não se suporta. do lado dele, talvez seja por coisas de trabalho que o emputeceram outrora. aliás, talvez não. definitivamente é. e o meu caso... bom, pessoal mesmo. não suporto a pessoa dele. odeio gente falsa e dissimulada num grau, que me vejo sendo falsa também, e acabo me odiando por isso. na maioria das vezes eu tento reverter essa situação, mas com ele, simplesmente, não dá. e, obviamente, não quero.

mas, nem é sobre essa "relação" que eu quero falar, e, sim, do meu ponto de vista. como uma continuação do post anterior.

este cara, o amigo e outro. o "trio maravilha". todos eles têm problema com alguém em especial. e, geralmente funciona desse jeito: eles convidam pra um almoço em um restaurante legal, conversam com a pessoa, querem saber da vida da pessoa, dão atenção. eu diria até que são ótimos anfitriões. talvez até melhores que eu, que odeio puxar saco alheio. e, consequentemente, odeio quem puxa saco. muito. mesmo.

inacreditável pensar que já tenham feito isso comigo. calafrios novamente.

o caso é que eles fizeram um bafafá sem fim só porque rola a picuinha com a maluca. fico me perguntando todos os dias se esses dois se comem! não que eu tenha alguma coisa com isso, mas pro que um fala, no que diz respeito a implicância, o outro acha que é lei. me dá pena apenas do nerd esquisitão (aham, aham) que se deixa levar por esses dois, viu. aliás, nem acho que sejam necessariamente os dois. acho que é um. o nerd esquisitão está na lista de pessoas de quem eu gosto... ainda.

mas, se vier pra cima de mim, vai ter. ah, se vai.

resumo da ópera: parafraseando a patricia do "te amo, porra", linkado ali do lado, a maluca ficou louca do cu e mandou e-mail jogando a merda toda no ventilador.
eu? acompanhando e rindo.

do nada me surge um e-mail do chefe deles: "vamos parar com isso, que a nossa fase jr já acabou".

um salve enorme pra ele. lindo! lindo! lindo!

e é assim, ao som de Delirio dos mortais, do Djavan, que eu me despeço do dia de trabalho de hoje e falo ao chefe deles:

TE AMOOOOO!! hahahaha

mesmo que eu não aaaaaaaaaaaame de verdade.
é só porque tá geral pianinho, sambando o samba da maluca louca do cu. palmas pra ela, né.

ela me-re-cee, ela me-re-ceeeee, ela me-re-ceeeeeee!!!! \o/

[fudeu. me senti uma assistente de palco da porta da esperança do silvio santos]

Um comentário:

Engraçadinha disse...

Queria muito entender de quem se trata. Quer dizer, de uns dá pra sacar, de outros não sei.