3 de jul de 2011

E na volta da night..

- Vai para aonde?
- Ali, perto do shopping. Por que, moço, quanto é?
- R$25,00 tá muito pra vc?
-Claro que está caro, oras. Se você ligar o taxímetro fica muito mais barato.
- Não não....

- Fica sim. Tá muito caro, moço.
(...)
- R$20,00?
- Eu não posso te cobrar R$15, mesmo sabendo que seu sorriso lindo compensaria tudo.
- R$ 20,00 está bom, mesmo comigo reclamando.
- Ok. E o seu sorriso continua lindo!

(...)

Isso, vindo de um taxista gordo e feio pra porra na volta da minha boate favorita. Isso, em tempos em que o anônimo mais lindo de todos os anônimos do mundo é casado, mora em SP sim, querido, sou do Rio e não quer me dar o e-mail dele. você pode fazer um e-mail fake ao invés de um msn fake.

=/

Isso, quando a night não foi lá essas coisas, eu estava louca por um beijo na boca com amassos ou sem amassos e, ao invés disso, pela primeira vez naquele lugar, não tinha ninguém interessante para eu ficar... Que dirá dar mole!

Isso, Senhor, num tempo em que hoje eu quero companhia pro cinema e me pego em casa assistindo comédia romântica na televisão...



Lord, oh Lord! Cadê aquele pedaço de mau caminho que some da minha vida e em cuja boca eu daria uns belos beijos nesta tarde nublada de domingo?





(pensando alto...)

Um comentário:

Ma Albergarias disse...

Valerie, preces às vezes são atendidas, viu?
Quem sabe ele apareça, pruma chave de coxa, bem dada.