14 de nov de 2011

o preço que se paga...

se tem uma música que resume a minha véspera de feriado, esta é all by myself. não pelo significado, mas pela cena hilaria de Bridget Jones. daí, tirem que ela tem trinta e poucos e eu tenho, 25, tirem o vinho, já que eu fiquei só na coca-cola hoje. e, claro, adicionem televisão, pipoca, sorvete e filmes... e eu sozinha em casa.

lembrei muito dessa cena hoje:




sempre assisti essa cena e ri. afinal de contas, a mulher que nunca se identificou com a bridget jones que atire a primeira pedra. hoje, não. hoje me vejo em ritmo de despedida (isso rende outro post) e com aqueles que se dizem "amigos", se afastando de mim.

eu sempre soube que isso ia acontecer. eu sempre soube que ia acabar sozinha, se algum dia eu saísse de perto. hoje, enxergo isso. hoje, estou chateada. todo mundo viaja, sai, coloca mil fotos no facebook, fala mil coisas no twitter. e, porra, ninguém pergunta se eu estou viva, ou como foi o meu final de semana. tô me sentindo sozinha, e com a sensação de que quando eu for embora daqui, só a minha familia estará por perto.

dói... dói por tudo que eu já doei de mim, por todas as vezes que saí pra lugares de que não gosto contra a minha vontade, só por conta do prazer da companhia de pessoas que, agora eu vejo, se dizem felizes por mim, mas que eu tenho 80% de certeza de que vai ser só eu virar as costas para sumirem da minha vida, não me dando nem um mísero telefonema.

daqui 6 meses vocês me lembram de ver esse post, e fazer uma retrospectiva?
posso estar muito errada, mas é o que eu acredito que vai acontecer mesmo.

e dói. dói, porque existe carinho da minha parte, e é completamente sincero.

mas, até quando o carinho das pessoas é tão sincero quanto o seu? olhem ao redor de vocês e tentem enxergar quem realmente torce pela sua felicidade. experimenta dizer, por exemplo, que vai fazer uma viagem de 6 meses no exterior, pra ver quantos querem ir às "pré-despedidas" com você, te ligar ou simplesmente perguntar aonde você vai, como fará pra se comunicar contigo e quanto tempo isso vai durar. isso, claro, sem o interesse de poder ir te visitar de vez em quando, porque o lugar aonde você vai morar é... "legal".

quantos dos seus amigos fariam isso despretensiosamente?

olhem em volta, serio.

quem é falso?
quem é sincero?
quem coloca você contra as outras pessoas?

em 15 dias eu nunca enxerguei melhor quem são meus amigos de verdade. ou, quem deixa de ser.
isso, claro, até eu me decepcionar com todos e ver que vou (enfim) acabar sozinha.

tô feliz demais, mas está complicado. tô me sentindo sozinha. mais ainda, depois da última ida ao shopping com a amiga de infância, a mesma por quem eu já chorei tantas outras vezes. sinto que vamos perder a amizade que temos, de uma forma ou de outra.

tá doendo, dói... e eu não vou ver retorno deste tipo de emoção tão cedo.
dizer "vai ficar tudo bem" não adianta, viu! nem vocês dizerem, nem ela.
eu não acredito, simplesmente.

me sinto sozinha.
e, mais que tudo, sinto que a minha melhor amiga já não é mais tão amiga assim.


...é o preço que se paga por querer mais, por querer liberdade e felicidade.
e, de coração, não desejo essa sensação pra ninguém.

3 comentários:

'Lara Mello disse...

Eu te entendo, passei por isso e doí mesmo, mas acredite, quando você começa a se livra de tudo isso, vai viver muito melhor, será mais feliz.. Eu era a popular, a melhor amiga de todos, morava só, tinha meu emprego, as pessoas vivam na minha casa, quando eu perdi tudo, não tinha ninguém, minha melhor amiga, olhava no olho mágico e não abria a porta, fui aprendendo com a vida quem realmente era meu amigo, e era a pessoa que eu mais evitava: Minha mãe, ela foi a única se joga no fundo do poço comigo, apareceu e fez tudo que ela não tinha feito em 20 anos da minha vida, hoje os meus supostos amigos vivem a suas vidas, e eu me sinmto melhor e superior sem eles, aprender doí, mas tudo que acontece sempre SEMPRE é o melhor para agente, vc não vai entender hoje, mas daqui a alguns anos, tudo vai se encaixar..

Oi Valerie, eu me chamo Lara Mello, você deixou um boa noite no twitter e vi aqui te ver, e li seu texto, e me identifiquei e vou continuar por aqui..

Se cuida e sorte sempre! =)

Engraçadinha disse...

Não precisa não desejar pra ninguém, porque em algum momento da vida, todo mundo passa por isso.
Eu consigo ver q essa dor é muito mais sua do q dessa amiga. Ela já está vivendo uma nova fase e acho q inconscientemente, já entendeu q a fase de vcs já passou. Não q não tenha carinho, mas deve ter um carinho muito mais desapegado q o seu.
O problema, é q do jeito q vc escreve, sinto q de alguma maneira esperava retorno por algumas atitudes suas em relação a essa amizade. No seu conceito, talvez ao menos consideração.
Mas o amor não consiste nisso. É doação e é di grátis. Vc realmente espera retorno.
O dia q vc aprender a dar sem esperar um mísero em troca, mesmo daqueles q se dizem seus amigos, dos antigos ou dos novos, então vai parar de doer.
É isso.

Fernanda Freitas disse...

Eu faço o "mea culpa"... Não tenho sido tão presente a quem é importante para mim.
Mas me perdoo... Tenho um filho pra criar, faço isso sozinha e a vida tem sido
dura comigo cobrando dívidas do passado que ou eu pago agora ou minha vida nunca
vai pra frente. Porque o tempo passa... Passa depressa... Espero que azamigas
sinceras entendam a pedreira que tenho que derrubar todos os dias.
No seu caso, talvez a análise tenha te feito descobrir coisas. E descobrir coisas
machuca até acertar. É o que estou tentando fazer por mim e pelo Gustavo.